Crônica

segunda-feira, 19 de setembro de 2011
Devaneios do taverneiro Devaneios do taverneiro Tentando por alguma ordem no que penso acerca de cultura, me vêm à mente as diferentes formas que o ser humano tem achado para se virar em cada ambiente, em cada canto neste planeta. Relevo do solo, rios, beira mar e praias, clima, recursos naturais, terremotos e tsunamis, inundações e secas têm norteado os indivíduos, criando padrões de comportamento. Um marujo enxerga o mundo de uma forma, um montanhês de outra.
segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011
Poluição, Sex Appeal e... Poluição, Sex Appeal e... Mente Poluída‏...Estão apelando! Além da sujeira nas nossas ruas em forma de tudo que a plebe anda jogando fora, além da barulheira que invade a nossa alma, agora também somos entulhados e aterrados por uma avalancha de apelos visuais e apelos sexuais.Até a nossa mente acostumada a inúmeras informações com aparências variadas fica confusa numa hora dessas...Faltando ainda duas semanas para o carnaval, Barra, Ondina e arredores já se parecem com o uniforme, o capacete de um piloto de fórmula 1.
domingo, 7 de novembro de 2010
Nos "Anos 50" Nos "Anos 50" Muitos dos contratos de bairro entre o comerciante e o cliente começavam pela palavra de honra e um aperto de mão. As mãos tinham a sua importância nos anos 50. Não só porque se faziam muitas coisas com as mãos; também porque as pessoas que faziam coisas com as mãos ainda não tinham começado a ser desrespeitadas e substituídas por máquinas.
sábado, 16 de outubro de 2010
guerrilha civil? guerrilha civil? Terminado o segundo turno, parte dos eleitores brasileiros vai comemorar, enquanto outra parte - talvez não muito menor - vai ficar frustrada e com sentimento de derrota. Haverá emoções que lembrarão a conquista do penta em 2002 no Japão ou a recente perda da copa na África do Sul. Só que neste segundo turno, quem entra em campo não é nenhum mercenário da bola e sim o povo brasileiro. Independentemente do resultado das urnas, quem sai vitoriosa é a nossa democracia... não é?
domingo, 5 de setembro de 2010
EU,O VITÓRIA E A IMPLOSÃO EU,O VITÓRIA E A IMPLOSÃO Ontem à noite me resolvi. Iria assistir à implosão do Estádio da Fonte Nova. Fiquei em dúvida vários dias por me assaltarem sentimentos de tristeza. Afinal, foi ali que me iniciei esportivamente, quando meu pai me levava para entrar em campo com o time do Vitória, e onde comecei, a partir de 1961 (Bahia 1 X 1 Santos), a assistir aos grande jogos (e depois, aos pequenos, mesmo!).
sábado, 21 de agosto de 2010
Joue-nous Raoul! Joue-nous Raoul! — O canhestro. — Hein? — O príncipe das trevas. — Paulo Coelho adorando o capeta? Agora embolou tudo. — Avisei... Tem coisas que não dá pra traduzir. Por melhor que você chegue a falar uma segunda língua, existem expressões que necessitariam de tanto tempo para serem explicadas que é melhor nem tentar.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10


Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.