Crônica

sexta-feira, 3 de agosto de 2012
Províncias & Metrópoles Províncias & Metrópoles O migrante às avessas está se preparando para reconhecer a si mesmo. Vai mudar de cidade. Sofrerá o doloroso processo de internalizar uma nova paisagem, e terá de ser hermeneuta de um simbolismo com o qual apenas sonhara de passagem. Espaços reduzidos nos tornam muito mais visíveis aos outros, como nos fazem também muito mais visíveis a nós mesmos. A província é assim, toda feita de casas de vidro, de transparências, de percepções marcadas pelo que é quase imperceptível.
quarta-feira, 25 de julho de 2012
Descobrindo a velhice Descobrindo a velhice “Réplica ao belo e inspirado texto “Inventando a Velhice”, de Maristela Bleggi Tomasini” - Descobri que estava velho em um único episódio. “Corri” para chegar a um ônibus que estava por sair do ponto, quando percebi que, de fato, não corria. Estivesse andando, e a velocidade seria exatamente a mesma, talvez maior. O corpo não correspondia ao impulso imaginado. A cena foi ridícula, mas suficiente para eu perceber que estava diante de uma limitação posta pelo tempo.
segunda-feira, 9 de julho de 2012
ROQUE ROQUE Sempre duvidei da razão e das pessoas que conseguem viver de forma equilibrada. Eu acho que até consigo afetar certa normalidade e manter-me dentro das regras, inclusive gramaticais, muito embora deslize pelo português eventualmente, isso quando não troco letras, nomes de coisas, pessoas, autores. É embaraçoso, mas preciso me esforçar para parecer uma pessoa centrada e assertiva, sem muito sucesso, contudo. No fundo, faço de conta que sou normal; acho que os outros fazem de conta que acreditam!
quinta-feira, 28 de junho de 2012
SEU ANTÔNIO SEU ANTÔNIO EM MEMÓRIA DE ALGUÉM QUE EU CONHECI - Li o aviso impresso logo que cheguei ao saguão. Seu Antônio faleceu hoje. O enterro vai ser amanhã, em Canoas. A Galeria Rosário não será mais a mesma. Aquela figura ímpar, que chefiava a segurança do prédio, nunca mais vai estar ali. Não se verá mais Seu Antônio sentado por trás da mesinha, tornada ainda menor diante do corpanzil daquele ex-lutador, que durante tantos anos, sempre com cara de mau, encarou qualquer um que lhe parecesse estranho ou suspeito
terça-feira, 19 de junho de 2012
IMPROVISANDO A VELHICE IMPROVISANDO A VELHICE A dor nas costas, incômoda e insistente, leva você à farmácia. Sua prima, que trabalha lá, vem atendê-lo. Você conversa, explica a dor, pede o remédio. Comenta que isso é um sinal de que está ficando velho. Ela, que é jovem, sorri e lhe diz, muito simplesmente:— Como ficando? Você já é velho, ora! Não é só com você. Comigo também acontece. Parece não ser com a gente, mas é, assim como a dor nas costas, o cansaço, as escadas, a bolsa que pesa cada vez mais.
terça-feira, 12 de junho de 2012
A SONSA A SONSA Vocês sabem identificar uma sonsa? Têm certeza? Não é tão simples como definir aquela que nem fede, nem cheira. Isso é só o começo. Vocês só se darão conta da existência dela depois de a coisa estar feita. Mas aí é tarde demais para desgrudá-la. Vocês estão achando engraçado, é? Ora, quero mais é que os meus leitores riam comigo. É divertido observar o modo de agir desse tipo de mulher, que de medíocre não tem nada, ainda que, no caso da sonsa que atualmente anda rondando o meu principado...
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10


Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.