vedetes da política

sábado, 27 de setembro de 2008

Curiosa, para não dizer ridícula, a propaganda política envolvendo os candidatos a prefeito de Salvador. Uma tremenda falta de respeito à inteligência do eleitor e até à dignidade dos próprios candidatos.

vedetes da política

 




A campanha aparentemente mais bem equilibrada é a de ACM Neto, embora perca ponto ao tentar justificar a chamada para a “porrada” feita ao Presidente da República no plenário da Câmara dos Deputados. Pior ainda, ficou a resposta do Presidente levada ao ar pelos adversários de ACM Neto no horário eleitoral obrigatório. O Presidente da Republica responde ao Parlamentar desafiante chamando-o de “anão”. É de fazer inveja a Hugo Chaves.

Já Imbassayh, administrador provado e aprovado, escorrega no tomate ao tentar dissociar a sua imagem da imagem de ACM, seguramente o avalista de sua carreira, cujo titulo, ele sem dúvida honrou. É como diria o candidato antiariano Hilton Coelho “Vocês são todos farinha do mesmo saco”. O rapaz, aliás, tem um discurso bem articulado apesar das utopias. Só se arrebenta mesmo quando coloca a questão da negritude, como se sobre qualquer ponto de vista, houvesse
diferença entre brancos, negros e outras tonalidades





Mas a briga fica mesmo interessante é quando Imbassayh, Pinheiro e João Henrique disputam um lugar ao lado de Lula e Wagner. É de fazer inveja a Virginia Lane no seu auge. Do pedestal onde se encontram, os dois vitoriosos querem aglomerar em torno de si todas as correntes, todas as religiões. São as figuras mais ecumênicas que a republica já produziu. São as vedetes!

Os projetos viáveis envolvendo questões sociais e econômicas são substituídos por acusações comezinhas. Pinheiro acusa Imbassayh e João Henrique de tentar usar os próceres do PT em sua campanha e, além de “convencê-los a docilmente confessar” apoio à sua candidatura, consegue barrar na Justiça a aparição de Wagner e Lula ao lado de candidatos não petistas.

Enquanto isso, João Henrique que passou quarenta meses patinando, transformou-se nos últimos seis, no prefeito que veio para salvar Salvador. Baseado nisso, pede desesperadamente que a população o deixe ficar “Já embalôôôô, já embalou deixa ficar”, canta o seu desesperado jingle ao tempo em que acusa Valter Pinheiro e outros petistas baianos de traidores. Só para lembrar, esse traidores, são do mesmo partido de Lula e Wagner de quem João Henrique se diz aliado


E para confundir mais, o eleitor anticarlista não se pode esquecer que tanto Imbassayh como João Henrique, são crias do tão amado e odiado ACM, afinal foi pelas mãos dele que o atual senador João Durval Carneiro, pai do prefeito João Henrique, chegou a governador da Bahia. Não precisa falar é claro, em ACM Neto, esse, legitimo herdeiro, claramente, pelo menos das virtudes do mais importante político baiano no último século.

Agora durma com um barulho desses e, por favor, acorde sóbrio para no dia 05 de outubro escolher qual deles vai contribuir para melhorar (ou piorar) a sua vida nos próximos quatro anos



Autor: Celso Mathias
Publicação vista 1710 vezes


Existe 4 comentários para esta publicação
segunda-feira, 29/9/2008 por Ronaldo Nascimento Naziazeno
Sem a devida dimenssão
Materia tendenciosa, com clara inclinação carlista
domingo, 28/9/2008 por Celiana Maria
Partidos e partidarismos
Este artigo me parece impregnado de partidarismos do autor, o que está em seu pleno direito. Talvez por isso, o mesmo exprime opiniões incompatíveis com a realidade da campanha. A mediocridade é plausível para todos os candidatos.
sábado, 27/9/2008 por Ronaldo Nascimento
Desequilíbrio
Matéria pouco equilibrada, com clara inclinação Carlista
sábado, 27/9/2008 por Gustavo Moreira
CORREÇÃO
Só uma correção: o nome do candidato tucano é Imbassahy.
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
pela educação no trânsito
pela educação no trânsito
invasão de luxo
invasão de luxo
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.