Buenos Aires; estive aqui!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2018

Buenos Aires é uma cidade cosmopolita que ainda respira o charme e o glamour de áureas épocas e lhe permite sentir o pulsar do cotidiano nas livrarias, nos cafés, nas elegantes galerias de arte, nas imponentes avenidas, nos monumentos que traduzem a obsessão dos portenhos por Paris e Madrid. A cidade foi construída para competir com os mais importantes centros europeus notadamente com Paris de onde copiaram quase tudo. Das características do Champs Elysées ao obelisco da Place de la Concorde.

Buenos Aires; estive aqui!

Intensamente movimentado, o centro de Buenos Aires é penalizado por um trânsito caótico e ensurdecedor e motoristas temperamentais que em certos momentos lembram o trânsito das piores cidades do Brasil.

Mas deixemos de lado o temperamentalismo dos portenhos e vamos falar de coisas que fazem de Buenos Aires um lugar encantador:


Em Santelmo, bairro de artistas, que aos domingos é transformado numa feira ao ar livre. O trânsito é interrompido, as ruas ficam repletas e barracas onde se vende artesanato, bugigangas e até velharias. Os artistas de rua aproveitam para ganhar uns trocados. São músicos, dançarinos de tango, malabaristas, palhaços, uma festa!

https://www.youtube.com/watch?v=Kp3TE9oVtnk

La Boca é um bairro antigo, originalmente residência da comunidade italiana. O colorido das casas não é um projeto urbanístico. É consequência da época em que os moradores, sem condições financeiras usavam restos de tintas para pintar as fachadas de suas casas. Lá, o mais interessante mesmo é ir curtir El Caminito bebericar de bar em bar, comer petiscos ver, ouvir e dançar tango com artistas de rua que fazem um espetáculo inesquecível. Ótimo para quem está apaixonado.

La Recoleta é o cartão da elegância. Um verdadeiro arrondissement parisiense chique, com ótimos restaurantes, lojas requintadas de roupa, arte, vinhos e o seu cemitério onde está sepultado o corpo de Eva Perón. Parecidíssimo com o cemitério de Père-Lachaise em Paris onde está sepultado o corpo de Jim Morrison. Certamente o roqueiro não faria objeção ao La Recoleta.


Calle Lavalle, Florida e Corrientes. Um autêntico centro de compras que aguça o sentido consumista não só do turista como também do portenho. Aqui também se encontra a parafernália das ruas das cidades cosmopolitas; palhaços, malabaristas, estatuas humanas, dançarinos de tango... por uns pesos você pode dar uma bailada com elas. Sim, lembram do Nelson Gonçalves cantando:

“À Meia Luz

Corrientes, 348

Quem sobe ao segundo andar

Sem porteiro, sem vizinhos

Só o amor vai encontrar

 

Há um ambiente calmo

Nesse quarto sedutor

Um telefone que avisa

Uma vitrola que chora

 

Velhos tangos e canções

E um gato de porcelana

Mudo assiste ao nosso amor

 

E tudo à meia luz

Para brindar o amor

À meia luz os beijos,

À meia luz nós dois

E tudo à meia luz,

Crepúsculo interior,

São suaves os desejos

À meia luz do amor...”

 

Na Corrientes 348 havia uma oficina mecânica e depois um estacionamento.

 

Na Calle Florida é imperdível visitar a Galeria Pacifico, com certeza uma das mais imponentes construções da capital Portenha. O prédio se destaca por uma abóboda com mais de 450 metros de diâmetro e é coberta por murais de famosos artistas argentinos. Seu uso como centro comercial teve início em 1990 e ali se encontravam algumas das principais lojas de grife da cidade. Vale um passeio pelos seus corredores para apreciar a beleza do local.

Casa Rosada e Plaza de Mayo são pontos nevrálgicos. Da varanda da casa Evita Perón discursava e era idolatrada pelos seus “descamisados”. Ainda hoje as mães de Mayo manifestam-se na praça exigindo explicações sobre as atrocidades cometidas contra os seus filhos durante o regime militar. A praça tanto serve de palco para manifestações culturais como políticas. Deliciosa a descontração das pessoas espalhadas pelo jardim, descansando, namorando, almoçando e até se bronzeando.

Puerto Madero era o mais importante porto de Buenos Aires. Acabou se transformando num bairro moderno com elegantes edifícios junto ao canal. A zona é bastante agradável para um passeio ao entardecer ou jantar num dos muitos restaurantes elegantes. A versão sul-americana do South Sea Port.

Na moderna Ponte da Mulher, curvas elegantes lembram curvas da anatomia feminina. Será?

O Museu Nacional de Belas artes é dono de uma coleção de obras de clássicos como Gaugin e Van Gogh. Já no Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires (MALBA) você poderá ver o conhecido quadro da nossa Tarsila do Amaral: O Abaporu. E o melhor; tudo com entrada gratuita!

Buenos Aires é repleta de parques. Alguns não podem deixar de ser conhecidos, como o Jardim Botânico Carlos Thays e a Reserva Ecológica Costanera Sur. No Bosque de Palermo, um dos mais procurados, de fácil localização, é o monumento da Rosa metálica. Aproveite, passeie, faça uma boa caminhada, um piquenique; namore!

A Avenida Nove de Julho foi construída com cerca de 20m de largura a mais do que a Champs Elysées. Isso lhe diz alguma coisa? Á noite se promove aqui um nervoso vai e vem que mistura turistas e portenhos. Aqui está sediada grande parte dos teatros de Buenos Aires, além dos cafés, pizzarias, livrarias e o famoso Obelisco.

Dê uma passada também no Edifício Kavanagh. Pouco conhecido pelos brasileiros que visitam a cidade, tem estilo art déco-modernista já foi o mais alto da América latina quando da sua inauguração em 1936. É considerado um monumento histórico nacional.


Autor: Celso Mathias
Publicação vista 529 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
Florença: eu estive aqui
Florença: eu estive aqui
Paradise; eu estive aqui
Paradise; eu estive aqui
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.