Você sabe mesmo fumar charutos?

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Derivado da palavra Tâmil "curuttu", enrolar em espiral, que deu origem também à palavra "cheroot" em inglês e "cheroute" em francês, a palavra pode ter chegado à Europa com os navegadores portugueses. Aqui algumas dicas para quem aprecia o sofisticado hábito de dar baforadas em "Habanos" ou nos legítimos "Baianos" que nada devem aos primeiros e permitem que não só milionários possam fuma-los. Conheça os principais formatos, medidas e tire dele o melhor proveito e porque não; a melhor fumaça.

Você sabe mesmo fumar charutos?

 

1 - Você que está começando, procure manter um registro dos charutos que experimentou anotando sua opinião sobre cada um deles. O registro o ajudará a lembrar-se das suas aventuras.

2 - Nunca deixe o seu charuto apagado por mais de meia hora. O alcatrão e a nicotina acumulados na ponta o deixam amargo quando novamente aceso. Só acenda um charuto quando tiver tempo suficiente, pelo menos 45 minutos, para saboreá-lo do começo ao fim.

3 - Nunca masque ou morda a ponta de um charuto. Segure-o na mão ou apoie no cinzeiro. O ato de fumar estimula a salivação. Assim, se você deixar o charuto na boca, ele ficará molhado, entupindo o furo e prejudicando a puxada.

4 - Se você é um principiante e, não importa preço ou marca, nunca compre muitos charutos de uma só vez, pois suas preferências podem variar à medida que for aprendendo mais sobre o assunto.



5 - Se espera encontrar uma fonte confiável e consistente de charutos de qualidade – um lugar que lhe dará prioridade quando os charutos que você deseja chegarem – estabeleça um bom relacionamento com uma tabacaria e torne-se um cliente fiel.

6 - Bebidas e charutos combinam, por isso, alguns bares e restaurantes oferecem o produto para venda. Além disso, apesar das restrições, permitem que você leve o seu para fumar, sem cobrar por isso, diferentemente do que ocorre com as bebidas, em que é cobrada uma taxa de “rolha” caso você leve a sua garrafa.

7 - É muito importante, muito difícil e extremamente dispendioso classificar charutos pela consistência que apresentam de caixa para caixa. Entretanto, a capacidade que um fabricante tem de produzir grandes charutos ao longo do tempo é primordial para a classificação da marca. Os iniciantes devem se concentrar nos charutos avulsos, mas não hesitar em analisar outro exemplar da mesma marca e formato em uma ocasião posterior comparando-o.

As diversas bitolas. Uma questão de gosto e/ou aparência.


Autor: Celso Mathias
Publicação vista 169 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
T-bone de cordeiro com purê de baroa
T-bone de cordeiro com purê de baroa
Você sabe a diferença entre o Presunto Pata Negra e o Presunto Serrano?
Você sabe a diferença entre o Presunto Pata Negra e o Presunto Serrano?
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.