Principais erros ao consumir vinhos

sábado, 28 de abril de 2018

Beber um bom vinho na companhia de amigos, da família, do seu amor, ou até mesmo curtindo sua própria companhia, é uma experiência muito agradável. No entanto, alguns erros cometidos ao consumi-lo podem estragar sua experiência por completo. Listamos 8 delas – vale a pena ler para não fazer feio e aproveitar ao máximo seu vinho:

Principais erros ao consumir vinhos

 

Achar que o vinho mais caro é sempre o melhor

Para a alegria de nossos bolsos é bom saber que nem sempre. Geralmente os mais caros são vinhos mais difíceis de serem apreciados, pois são mais complexos, nem sempre fáceis de beber e exigem uma certa preparação sensorial, um nível mais alto de conhecimento. Compre vinhos que você pode e sabe desfrutar. De que adianta ser caro, mas de um estilo que não lhe agrada? A dica é definir o seu próprio conceito de “melhor”.

Beber muito rápido

Essa, infelizmente, é uma prática bem comum, mas beber o vinho muito rápido é como jogar fora uma potencial experiência memorável. Às vezes o vinho é tão bom que a vontade de devorá-lo atrapalha a descobrir e aproveitar características específicas dele, como diferentes sabores e sensações. Além disso, não se tem tempo de entender quais elementos o fazem bom e as possibilidades de sentir sintomas de ressaca no dia seguinte são grandes. Ou seja, melhor ir com calma.

Beber sempre o mesmo tipo de vinho

Falamos sobre isso no último post (link): quanto mais tipos de vinho se experimenta, mais se entende sobre vinhos. Logo, se restringindo a apenas a um tipo de vinho (tinto ou branco) ou a uma espécie de uva, perde-se muitas possibilidades de descobertas. Experimente mais!

Subestimar a harmonização

Achar que harmonização de vinhos e comidas é uma prática desnecessária é um grande erro. No último post falamos também sobre harmonização (link), lá você encontra as regras básicas, mas o principal é saber que uma combinação errada pode, sim, estragar o vinho. Por exemplo, consumir vinho com comidas muito salgadas ressalta o sabor do álcool e apaga as demais características; e consumir um vinho proveniente de um longo processo de envelhecimento com um prato de sabor muito marcante não é uma boa pedida, já que os sabores competirão. Você não precisa ser um expert em harmonização, mas saber as regras básicas é uma boa pedida para não errar feio.

Analisar o vinho no primeiro gole

Muitas pessoas pensam que esse momento se destina a uma análise profunda e demorada do vinho, o momento decisivo da degustação. Porém, não é este o propósito do primeiro gole servido. O primeiro pequeno gole que o sommelier coloca na taça antes de servir o resto da mesa (prática comum em restaurantes), serve para se certificar de que a bebida está boa; apenas isso. O que se pretende é saber se o vinho está adequado ou se há alguma falha, como problemas na rolha ou outro defeito facilmente perceptível. Para isso, prestar atenção ao cheiro e ao sabor, buscando aromas e sabores indesejáveis, basta. A degustação mais analítica deve ser feita enquanto se toma o vinho, com calma e aproveitando cada momento.

Servir na temperatura errada para o consumo

Um dos erros mais comuns é servir o vinho gelado. Vinhos precisam ser servidos frios, não gelados. O indicado é que a temperatura esteja entre 15 °C e 18 °C, principalmente para os tintos intensos. Já os tintos mais leves e os vinhos rosados podem ser servidos um pouco mais frios, por volta de 12 °C. Já os vinhos brancos aceitam temperaturas ainda menores, entre 8 °C e 12 °C, para que o frescor combine com a acidez elevada. A dica é nunca deixar a temperatura inferior a 5 °C, pois pode danificar o paladar, anestesiando as papilas gustativas; nem superior a 20 °C, para não liberar um aroma muito forte, desequilibrando a bebida.

Segurar a taça pelo bojo

Outro erro clássico. Segure sua taça sempre pela haste, e não pelo bojo (ou fundo). A taça de vinho tem uma longa haste por essa razão. Quando você segura a taça de vinho pelo bojo o calor de sua mão aquece o vinho e descaracteriza o vinho.

Não cuidar do armazenamento

O vinho é uma bebida muito delicada que requer cuidado, por isso cuidar do armazenamento, antes e depois do consumo, é muito importante. Se feito da forma errada, a probabilidade de comprometer as sensações ao degustar a bebida é grande. Armazene seus vinhos em locais escuros, úmidos, com temperaturas frescas em posição horizontal. E nunca – nunca – guarde um vinho aberto na geladeira para consumi-lo depois. O vinho não merece ser tratado assim.

Agora que você já o que não fazer ao consumir vinhos, te ajudaremos a escolher um bom vinho para colocar em prática tudo que você aprendeu, escolha o seu em;

www.winexpertbrazil.com


Autor: Byagn/Agpress
Publicação vista 104 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
Queijos & castas
Queijos & castas
No dia dos namorados beba um rosé com ela
No dia dos namorados beba um rosé com ela
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.