Amsterdam de minhas muitas histórias

sábado, 30 de março de 2019

Em vinte anos foram mais de dez viagens. De avião, de carro, de trem... Além dos milhares de pedaladas em torno de Amsterdam, um mundo novo, novíssimo, principalmente para quem há pouco tempo deixara uma pequena cidade do interior baiano. A primeira viagem foi ainda em meados da década de 70. São muitas lembranças e muitas histórias da mais alegre, diferente e democrática capital do planeta. Com vocês, Amsterdam!

Amsterdam de minhas muitas histórias


Centenas de pontes, cafés, museus com obras dos maiores artistas de todos os tempos, entre os quais, é claro, o genial filho da terra Vincent Van Gogh onde um museu com seu nome abriga mais de 200 pinturas e esboços feitos pelo artista.

Andar de bicicleta, conversar naturalmente com estranhos, assistir espetáculos nas praças, beber bons cafés, acompanhar a liberação das drogas e suas consequências (àquela altura era um dos poucos lugares do mundo onde as pessoas faziam isso sem constrangimento), visitar incríveis brechós, viver uma realidade muito distante do “universo” que me limitava. Eu estava em Amsterdam!

Entre inúmeros hotéis de todos os padrões, na primeira viagem e na maioria de outras escolhi a comodidade do Sonesta, hoje Hotel Renaissance Amsterdam administrado pela rede Marriot. Localizado no nº 1 da Kattengat, uma rua tranquila pertinho da Estação Central. A edificação é uma instituição importante na vida da cidade. Os edifícios do hotel são a combinação da arquitetura renascentista, com uma cúpula característica de uma antiga igreja.

O Renaissance é um local elegante para muitos eventos e conferências culturais importantes. O Scossa, principal restaurante do hotel serve cozinha italiana, com um acentuado sotaque de cozinha mediterrânea.

Na época do Sonesta, vários apartamentos nas ruas tranquilas da região, eram alugados como extensão do hotel incluindo todos os seus serviços. Uma verdadeira farra!

Uma parte da Koepelkerk (a cúpula da antiga igreja) mantem-se como parte do hotel com 11 salas de conferências, um local único para reuniões e eventos.

Os cafés-Amsterdam tem uma boa reputação em relação aos cafés. Mais de 200 deles vendem não apenas um simples cafezinho. Eles têm permissão para vender cinco gramas de maconha por pessoa. Embora todas as drogas sejam ilegais, as pequenas quantidades são apenas toleradas pelas autoridades.

A propósito, uma prospera comerciante baiana de gêneros alimentícios cujos filhos, todos empreendedores, mas adeptos da Canabis despertaram a curiosidade da mãe que num viagem de férias, resolveu descobrir o prazer que a erva causava aos filhos e, junto com eles, em um dos cafés da cidade adquiriu a sua cota e usou-a gulosamente. Vexame total que a madame costuma contar sem retoques. Há também um politico de alto escalão que quando em viagem a Paris, costuma acompanhado de um velho amigo, dar uma esticada em Amsterdam apenas para degustar um bom “café”.

Para o café, eu recomendo:

Koffiesalon na Utrechtstraat - Bom café, bem localizado, ambiente agradável e preços salgados.

Sama Sebo, uma ótima lembrança - A recomendação foi do saudoso


jornalista capixaba Toninho Rosetti. Ele estivera lá por mais de uma vez: “Celso, você conhece a culinária da Indonésia? Olhe, em Amsterdam existe um restaurante super agradável com um certo clima de magia; Sama Sebo. Não deixe de ir!”

Fui várias vezes ao local!

Inaugurado em 1969, o Sama Sebo ganhou quase status de instituição. É uma festa com uma miríade de pequenos pratos exoticamente temperados, num ambiente característico com paredes de bambu e madeira em miniatura dividindo ambientes como "casas espirituais", iluminadas por lâmpadas de estilo do século 19.

Durante o almoço, eles servem pratos simples: bami goreng (picantes macarrão frito com legumes ou carne) e nasi goreng (o mesmo, mas com arroz em vez de macarrão). No bar, você pode esperar para a sua mesa, tendo uma cerveja e conhecer os frequentadores.

Onde você estiver; obrigado Toninho Rosetti. De você e do Sama Sebo, trago as melhores lembranças!

Fica na Hooftstraat 27

DICAS

Vá par um lugar indispensável aos românticos; mercado de flores flutuante, o Bloemenmarkt. Câmara na mão, momentos registrados, ande um pouco e chegue á Leidseplein, a praça mais frequentada de Amsterdam e onde você paga o chope mais caro e quente do planeta.

Na sequência vá ao Museu Rijks. Ele tem um dos acervos mais completos da arte Holandesa com quadros de Veermeraaa (A Leiteira) e

de Rembrandt, entre eles, “The Night Watch” ou “A ronda Noturna”.


Anne Frank Huis –A Casa da Anne Frank- Local onde a menina judia

ficou escondida e escreveu o seu famoso diário. A casa onde a famíliapassou pela provação é hoje um museu aberto à visitação pública e uma das maiores atrações de Amsterdam.

Van Gogh Museum - Museu que abriga um acervo de mais de 200 obras e esboços feito pelo grande artista holandês. Visita indispensável aos amantes da arte!

Amsterdam Museum - A história de Amsterdam contada através de vídeos e painéis interativos em diversos idiomas, inclusive o Português.

Museu Van Loon - Entrando as portas do Museu Van Loon significa entrar

em outra época. Situado no canal Keizersgracht, a casa de canal foi a residência de um dos mais famosos alunos de Rembrandt, Ferdinand Bol. A última família a residir ali foi Dame du Palais da corte da rainha Wilhelmina. A casa é decorada com muito bom gosto inequívoca. Talheres, pinturas, tapeçarias, móveis XV Luis, um belo jardim na parte de trás tudo testemunha de uma época de opulência, característica dos ricos holandeses de outras eras.

Leidseplein – Praça que concentra nas suas redondezas bares, casas de show, cafés, ambulantes, artistas de rua e muita gente interessante d todos os quadrantes do planeta.

Kalverstraat - É a mais famosa rua comercial de Amsterdam. A rua se

estende desde o Monnaie à Barragem. Na rua você pode encontrar dezenas de lojas de grandes marcas a pequenas boutiques. Muitos holandeses vêm para Amsterdam especificamente para fazer compras.

No auge da Monnaie está localizado Kalvertoren, um shopping center onde você pode comprar especialmente roupas. Abre também aos domingos.

Vondelpark – É o maior e principal parque da cidade. Bom para caminhar, apreciar as flores as pessoas e principalmente meditar; é lindo!

Gassan Diamonds - Gassan Diamonds, uma empresa familiar, está localizado em um edifício da fábrica maravilhosamente restaurado no centro de Amsterdam. Originalmente, foi construído em 1878 como um vapor impulsionado a produção de diamantes e no momento com 400 polidores, é o maior de seu tipo no mundo. Hoje em dia, os visitantes têm a oportunidade de ver os lapidadores em seu ofício, enquanto a equipe multilíngue explica onde os diamantes são encontrados e como diamantes bruto se transformar em brilhantes deslumbrantes. Maravilhoso para quem gosta de história, e principalmente de joias.

St. Nicolaaskerk - O edifício alto e espaçoso de St. Nicolaaskerk (São

Nicolau) abriga uma das mais conhecidas "novas" igrejas de Amsterdam. A igreja está situada em frente à Estação Central, no coração da cidade. A Igreja Católica Romana é considerado um raro exemplo de estilo neo- barroco. No geral, a estrutura é extremamente excepcional porque a maioria das igrejas católicas mais recentes apresentam um design neo -gótico promovido pela Cuypers na Holanda. Esta igreja , no entanto, continua a ser um ponto de destaque para que todos possam ver.

Muziekgebouw aan 't IJ - Apelidado de sala de concerto do século 21,

Muziekgebouw é uma instalação totalmente equipada de tamanho médio. Em Amsterdã, o Muziekgebouw tem um auditório multiuso que abriga 735 espectadores sentados ou 1.500 convidados em pé. Para eventos menores, o Muziekgebouw também possui um salão que acomoda 100 espectadores. Serviços de restaurante e de conferência de serviços completos estão disponíveis no salão. Outras amenidades incluem escritórios para ensembles de música e organizações e áreas de ensaio para os músicos. O nascimento do Muziekgebouw em 2005 denota um momento histórico na música holandesa.

Red Light Discrt -(em decadência)Distrito da Luz Vermelha é uma parte de uma área urbana, onde há uma concentração de prostituição e as empresas orientadas para o sexo, como sex shops, clubes de strip, teatros adultos, etc. O termo origina-se as luzes vermelhas que foram usadas como sinais de bordéis.

Aeroporto de Amsterdam, Schiphol – Eleito várias vezes o melhor aeroporto da Europa é, na opinião de uma guia bilíngue que me recebeu em uma das chegadas, um nome impronunciável para quem não fala Holandês. “Para um estrangeiro pronuncia-lo corretamente, é preciso estar com uma inflamação nas cordas vocais”, divertiu-se a guia.

Na noite de 02 de março de 1996 embarcamos a convite do comandante Rolim no seu recém-adquirido, se não me engano A330, á época, a maravilha da aviação. Essa noite ficou marcada por longas conversas com os comandantes do voo e o jornalista Gianfranco Betting, também convidado e até hoje uma das maiores autoridades jornalísticas no setor de aviação. Ao desembarcarmos em são Paulo, a triste notícia do trágico desaparecimento do grupo Mamonas Assassinas.

UM CAPÍTULO À PARTE

De Librije - Para comer realmente bem você vai ter de sair e Amsterdam. Falo para comer nos padrões dos melhores chefes do mundo. A Meca é Zwolle e a divindade é o casal Jonnie Boer e Therese.

A cidade está a 120Km a nordeste de Amsterdam e é a capital da provincia de Overijssel. Uma cidade muito antiga fundada por mercadores oriundos da Frísia. A fundação de Zwolle remonta ao ano de 800 DC.

Mas o que me chama atenção é o De Librije, um restaurante com 03 estrelas no Guia Michelin e em 2008, recebeu uma pontuação de 19,5 e tornou-se restaurante do Ano na edição holandesa do Gault Millau.

O restaurante está localizado na antiga biblioteca de um mosteiro dominicano do século 15, daí o nome "De Librije"( biblioteca em Holandês). O chef de cozinha é Jonnie Boer e sua esposa Teresa Boer-Tausch é maître e sommelier. O casal, que tanto já trabalhou no restaurante, comprou o estabelecimento em 1992. E agora transformaram uma antiga prisão a cinco minutos do restaurante em um Hotel Cinco Estrelas.


Boer é apaixonado pelo produto local; supostamente, ingredientes são adquiridos dentro de um raio de sete quilômetros. Sua cozinha mistura sensibilidades francesas e holandesas, com experimentações e muitos vegetais.

Ele usa ingredientes holandeses tradicionais em seus pratos, como o arenque, a enguia defumada e camarões que ele combina com o gosto de várias texturas.

"Alimentos e bebidas é o que servimos todos os dias e isso para nós é fazer uma festa para você, essa necessidade diária para você se tornar uma parte do nosso amor através da nossa boa comida e bons vinhos. Nós dois crescemos nesse ambiente e aprendemos a conhecer e amar como ninguém o que aqui se produz”, enfatiza o casal.

De Librije é considerado um dos melhores restaurantes do mundo. Como um vencedor de três estrelas Michelin, De Librije tem que ser perfeito em todos os sentidos o tempo todo. Isso faz de Boer um defensor da perfeição.

 


Autor: Celso Mathias
Publicação vista 2900 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
Buenos Aires; estive aqui!
Buenos Aires; estive aqui!
Florença: eu estive aqui
Florença: eu estive aqui
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.