MATURIDADE DA BMW SÉRIE1

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O novo Série 1 apresenta-se mais corpulento (+80 mm de comprimento) mais generoso na distância entre eixos (30 mm) e com vias mais largas. No momento, a única carroçaria disponível é a de cinco portas, estando previsto para o próximo ano o lançamento da versão de três portas. O fato de o Série 1 ser maior por fora traduz-se em vantagens essencialmente dinâmicas, pois o objetivo da BMW foi melhorar o comportamento e incrementar o conforto.

MATURIDADE DA BMW SÉRIE1



Seja como for, existe mais espaço para as pernas nos lugares traseiros -
um acréscimo de 2 cm – que pode fazer a diferença no acesso e na saída do habitáculo. Também existe um significativo ganho na volumetria do porta malas, que proporciona agora mais 30 litros de capacidade, passando para um total de 360 litros.

Para todos os efeitos, o interior tem espaço suficiente para o dia-a-dia, apresenta-se mais moderno e ergonômico e oferece um ambiente acolhedor e de qualidade, com os bancos dianteiros bem desenhados e com bom apoio.

Em termos de mecânica e de chassis, a receita permanece a mesma, com motor longitudinal, tração traseira e suspensão independente nos dois eixos (atrás, de braços múltiplos). No caso do eixo dianteiro, foram alterados os braços oscilantes e os pontos de ancoragem das torres de suspensão.

Na prática, o novo Série 1 revela-se diferente, principalmente, porque possui um nível de conforto que sobressai facilmente e sem colocar em causa a eficácia dinâmica. Aliás, neste campo, a realidade é agora mais ampla, com a possibilidade de escolha entre três níveis de suspensão: de série, desportiva M ou de amortecimento variável – sendo este regulável entre suave, intermédio e firme, o que reforça a competência do compromisso entre conforto e aderência.

Contribuindo para as sensações de apuro dinâmico, todas as versões surgem de série com o DCC (Dynamic Chassis Control), sistema que permite alterar diversos parâmetros de condução como a sensibilidade do acelerador, a assistência da direção e o modo de intervenção do DSC. No caso das versões com câmbio automático, também se altera a rapidez das mudanças de marcha. No Série 1 este sistema possui três níveis de funcionamento: Comfort, Sport e Eco Pro.

No campo dos motores, estão já estão disponíveis dois blocos a gasolina de 1.6 litros, com potências de 136 cv (116i) e 170 cv (118i) e três Diesel de 2,0 litros: 116d (116 cv), 118d (143 cv) e 120d (184 cv).

Todos os motores são de injeção direta e contam com turbo (BMW TwinTurbo), possuindo também sistema Stop/Start para moderar os consumos e emissões. Todas as versões vêm equipadas com câmbio manual de seis velocidades, sendo possível optar, em qualquer das motorizações, pela nova transmissão automática de oito velocidades.

Modelos: 116i 136 cv, 240 N.m, 210 km/h, 5,7 l/100km, a partir de €28 990 118i 170 cv, 250 N.m, 222 km/h, 5,9 l/100 km, desde €34 450 116d 116 cv, 260 N.m, 200 km/h, 4,5 l/100 km, desde €31 600 118d 143 cv, 320 N.m, 212 km/h, 4,5 l/100 km, desde €33 500 120d 184 cv, 380 N.m, 228 km/h, 4,6 l/100 km, €37 800. Na Europa!

 



Autor: Agpress
Publicação vista 1202 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
Volvo V90 T8 Plug-in Hybrid – classe sueca
Volvo V90 T8 Plug-in Hybrid – classe sueca
Novo GLE Cupê SUV da Mercedes e a versão AMG
Novo GLE Cupê SUV da Mercedes e a versão AMG
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.