A arte e a morte de Osama

sábado, 7 de maio de 2011

Johil Camdeab é um desses artistas gráficos de humor ácido que não perde uma oportunidade. Brincando com o Photoshop – ferramenta digital que serve entre outras coisas para transformar bruxas em princesas,corrigir estrias,seios,glúteos e,finalmente, para retocar e mexer em fotografias para transformá-las em piadas,o que Johil faz com maestria - ele concentra suas “digicriticas” na classe política, fonte inesgotável de inspiração para chargistas e cartunistas desde os primórdios da civilização.

A arte e a morte de Osama












Para quem não sabe Johil Camdeab é euclidense da gema nascido em 1948 na rua da Igreja, meu contemporâneo e daquela turma – Zezé da Maria Elisa, Hélcio do Antonio André, Euzinho, Ney do Teófilo Careca, Miguel de Cessinha, etc. etc. etc. - que estudou na Escola Paroquial São José do Padre Jackson.







Para evitar que a turma citada fique se indagando se realmente este cara existe, esclareço: Johil Camdeab é o pseudônimo José Hilcério Campos de Abreu, o Zé da Tidinha. Lembraram agora?







Pois é! O Zé da Tidinha vive hoje na selva amazônica divertindo-se com o computador com fatos que geram fotos que ele transforma em piadas e espalha pelo mundo inteiro através da internet. Seu humor ácido e irreverente é uma forma de protesto que leva as pessoas do riso à indignação e à reflexão, como vocês podem ver nos trabalhos mais recentes do artista, uma cobertura jornalística visual da morte do terrorista Osama Bin Laden.

 


Autor: Celso Mathias
Publicação vista 1350 vezes


Existe 1 comentário para esta publicação
quinta-feira, 12/5/2011 por Elizabeth Winderlyne
Muito bom.
Parabéns ao artista!
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
O panfletário cibernético
O panfletário cibernético
Onde ponho o dinheiro?
Onde ponho o dinheiro?
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.