UM SONHO DE AMERICANO

terça-feira, 22 de março de 2011

No pátio do elegante Resort Bacara, ao norte de Santa Bárbara, está estacionado um novo Saleen S7. Sua criação foi inspirada nos carros de corrida da Le Mans, aos quais se assemelham bastante.O mesmo estilo rebaixado e a estrutura em fibra de carbono. Nas proximidades, um grupo de agentes da Lehman Brothers aguarda o início de um seminário sobre investimento. Um deles brinca, perguntando a si mesmo até onde ele poderia subir em sua carreira, para poder adquirir um Saleen de 395 mil dólares.

UM SONHO DE AMERICANO

   

É óbvio que eles iriam preferir deslizar sobre a cadeira do motorista e sair do que ficar sentado especulando sobre o mercado. E mesmo que eles conseguissem acumular pontos suficientes no seminário, obtendo certo sucesso, iriam descobrir que entrar no Saleen, no sentido literal, requer mais do que a habilidade de preencher um cheque.  

O Saleen tem apenas um metro de altura, e o ato de entrar no automóvel requer a mesma performance exigida para o 300SL Gullwing Mercedes-Benz: coloque uma mão no teto, levante sua perna direita colocando-a dentro do carro, desloque o peso do seu corpo, levante a perna esquerda, colocando-a dentro do S7 e deslizando, caia sobre a poltrona, que é direcionada para o centro, como nos carros de corrida. Assim tem início, logo pela manhã, o test-drive do super carro americano de Steve Saleen que, elaborado há 2 anos, representa o auge de sua carreira de 18 anos. 

Quaisquer dúvidas sobre se vale ou não a pena distender um músculo ou machucar as costas para entrar num carro como este são apagadas, ao observar-se o velocímetro, onde se pode ver a velocidade máxima, 240 milhas/h (386 km/h). Isto significa que este carro é capaz de andar a uma velocidade superior a 6,4 km por segundo, se você estiver numa estrada onde possa correr tanto assim. 

Dê a partida no Saleen, e você será recompensado com a cacofonia mecânica de um V8 550-HP, 7- litro (verificar se não é 7.0. Se for, não precisa usar “litro”. Use apenas “7.0”), localizado próximo à sua cabeça. Apesar de haver certo isolamento do motor, há uma repercussão na cabine do motorista, de sua potência desenfreada, à qual você se sente diretamente conectado, como você se sentiria também dentro de um Mustang P-51. O pedal da embreagem deve ser pressionado para evitar um desgaste na máquina. Dá para sentir imediatamente a força do motor do S7, como a de um cavalo puro-sangue antes do seu galope matinal. 

Passo em frente à porta do hotel e tomo a direção sul, na Highway 101, ignorando os outros motoristas, todos olhando curiosos para o carro, e me concentro no S7. Há várias emoções para absorver. Com apenas uma leve pressão no acelerador, o S7 avança incrivelmente. Sua direção tem a rapidez de um videogame. É preciso certa precisão nos movimentos da direção, o que vem à medida que você se acostuma com ela. 

A direção é extremamente firme, e a suspensão é muito sensível às irregularidades da pista, como um carro de corrida. A embreagem do S7 é excepcional, mesmo em velocidade baixa. Steve Saleen, fundador e presidente da companhia, afirma que a aerodinâmica do carro é tão eficiente (como um túnel de vento, e 64 canos de descarga e aberturas, para facilitar a circulação do ar) que você poderia dirigir de cabeça para baixo a 250 km/h sem perder o controle.

À tarde, com Steve Saleen dirigindo, descemos por uma série de estradas com muitas curvas, que leva até Jalama Beach, andando em alta velocidade, aproveitando o que um carro inferior nunca poderia nos proporcionar. Saleen comentou “Há uma grande sensação de bem-estar, e ao dirigir, você estabelece seus próprios níveis. Você não pode jogar fora o carro, a menos que faça algo deliberadamente estúpido. O S7 tem o mesmo feeback de um carro de corrida. Já comentei que ele é muito, muito rápido, não é?” 

Para fazer um bom negócio também, você pode optar por uma Ferrari 575 Maranello ou um Aston Martin V-12 Vanquish. Ambos têm um visual incrível, 4 cilindros a mais que o S7, avançados recursos eletrônicos – sem mencionar seus pedigrees de corrida de longa data. Os dois carros mencionados são capazes de atingir velocidades obscenas nas ruas, estimulando seu coração do jeito que você gosta. Tudo isso nos leva a perguntar quais os motivos que levariam uma pessoa a comprar o S7 – e porque alguém como Saleen planejaria vender cerca de 400 S7 nos próximos quatro anos? 

Em primeiro lugar, nenhum outro carro do nível do S7 iria provocar tantas emoções, e nem causaria tanto impacto visual. Segundo, os verdadeiros conhecedores admitem e apreciam a natureza descompromissada do Saleen. É um carro que realmente não deveria jamais ser deixado sozinho nas ruas. 

É muito rebaixado, frágil e veloz. Mas, dentro da cabine, você deve se conscientizar de que vai dirigir um S7. “Ele é americano. É agressivo. Ele tem uma herança de corrida de carro. É um carro de corrida para rodar nas ruas, uma fantasia que se tornou realidade.” 

O S7 parece com a Lamborghini Diablo. Seu design não é tão fluido como o F50 da Ferrari, mas ele certamente desempenha toda a performance do F1 da McLaren (que usa um BMW 4-cam V-12 modificado), por menos da metade do preço da McLaren, avaliada em 1 milhão de dólares. Assento assimétrico, aerodinâmica especial, com 64 canos de descarga e frestas para ventilação, rebaixado, com a altura máxima de 10 cm do chão, e um pequeno porta-malas, o S7 revela-se definitivamente como um carro de corrida disfarçado, que foi autorizado a rodar nas ruas. 


Autor: Celso Mathias
Publicação vista 1624 vezes


Existe 0 comentário para esta publicação
Enviar comentário


Confira na mesma editoria:
Volvo V90 T8 Plug-in Hybrid – classe sueca
Volvo V90 T8 Plug-in Hybrid – classe sueca
Novo GLE Cupê SUV da Mercedes e a versão AMG
Novo GLE Cupê SUV da Mercedes e a versão AMG
Copyright 2014 ® Todos os Direitos Reservados.